Meu 2016 em livros

Olá, pessoal! Quanto tempo, né? Agora que estou oficialmente de férias, vou escrever mais por aqui para compensar a parada, pois conheci e aprendi coisas novas bem legais esse ano e queria compartilhar com vocês 😀

No início do ano, eu tinha estabelecido uma meta de ler 30 livros esse ano, porém mal sabia eu o quão corrido seria esse segundo semestre, por isso baixei a meta para 20. Resultado? Já li 20 e estou terminando mais 3, então, não foi tão longe do que pensei no início do ano.

Quero agora indicar os livros que mais gostei, claro. Esse ano decidi ler coisas mais diversificadas do que costumava ler e isso foi muito bom, pois me mostrou a importância de sair da zona de conforto. Acabei lendo mais sobre motivação, pensamento positivo e organização financeira. O restante vocês podem conferir na imagem:

Meu 2016 em livros

Os que mais gostei foram:

1 – How to Bake Pi – Eugenia Cheng

Ainda não terminei de ler, mas é muito legal! Já falei da Eugenia Cheng por aqui e comprovo que ela é realmente sensacional: Matemática é linda e infelizmente a escola nos faz odiá-la, mas compreendê-la hoje é fundamental. Cheng junta duas coisas que aparentemente não têm nada de comum: raciocínio lógico e culinária. Recomendo para quem queira dar uma segunda chance para a Matemática ou para quem curte cozinhar (:

2 – A Arte de pedir – Amanda Palmer

Esse livro foi indicação da minha querida amiga Amanda e adorei! Livro sensacional que mostra o quão frágil nossa vida é, mas o quão leve ela se torna quando temos pessoas especiais ao nosso lado, além de lutar pelo que acreditamos.

3 – Trabalhe 4h por semana – Tim Ferris

Se você não leu esse livro até agora, VÁ AGORA e me agradeça depois.

4 – Girlboss – Sophia Amoruso

Fazia tempo que queria ler e achei na promoção, então comprei. Livro muito inspirador, apenas! E nos faz refletir sobre o poder de ir em busca do que gostamos, independente do que vão pensar de nós.

5 – Adeus, aposentadoria – Gustavo Cerbasi

Na metade do ano pra cá, minha amiga Amanda (isso que é amiga, hein, aprendam!) me recomendou o canal da Nathália Arcuri, o Me poupe! um canal de informações e entretenimento financeiros. Minha vida mudou desde então e estou sempre indo atrás de aprender mais sobre investimentos, tesouro direto, metas, objetivos e por aí vai! Recomendo muito e tenho certeza de que, se colocar em prática pelo menos metade do que ela fala, seu 2017 vai ser bem melhor do que 2016! =D Ela indicou alguns livros e entre eles é o Adeus, aposentadoria, do Gustavo Cerbasi. Livro mais do que fundamental para o cenário econômico do nosso país.

A maioria desses livros estão disponíveis para baixar, por isso, não tem desculpa para não ler xD E você, o que leu de legal esse ano? É isso, espero que vocês curtam alguns e leiam os que indiquei. Com tudo que li esse ano com certeza em 2017 terá muito mais.
Até mais!

Metodologias Ágeis e GTD

Antes de mais nada, preciso relembrar que não sou uma especialista ainda em nenhum dos dois assuntos, mas que muito me interessam em continuar estudando. Esse post se trata de um ensaio sobre alguns pontos em comum sobre esses dois métodos e achei legal compartilhar.

Para começar, Agile é uma metodologia de desenvolvimento de Software. Já GTD é um método de produtividade. Você deve estar se perguntando como eles dois podem ser comuns, certo? Vamos lá, então.

Agile
Getting Things Done

Pelas imagens, da para perceber que os dois métodos trabalham com os princípios de revisão constante, algo que impacta diretamente na qualidade do produto/das tarefas no dia a dia. Sem revisão, não é possível acompanhar o processo nem se adaptar às mudanças.

O principal ponto que os dois métodos me chamaram atenção foi a atitude de ver as pessoas como o mais importante de tudo e capazes de construírem ações com valor. O respeito à integridade humana, a confiança nas pessoas e a propagação de valores na vida e na empresa são os pilares desses dois métodos.

Na maioria das empresas, e não só de software, os ‘funcionários’ são apenas números que podem ser substituídos a qualquer momento. A burocracia e reuniões inúteis são rotina na vida de muitos. Colocando esses princípios em prática, a vida melhora, a produtividade acontece e os resultados são mais satisfatórios para todos.

Depois, a motivação para realizar suas tarefas. Seja em Software, seja na vida pessoal, se não temos objetivos claros e foco, é bem provável não haver motivação para acordar todos os dias, pegar trânsito e nem sentir satisfação com o que fazemos.

Com planejamento e organização, a mente fica mais descansada e livre para criar com qualidade. A criatividade é estimulada, o cérebro não se preocupa com prazos, chefes, com metas não realizadas.

Os dois métodos propagam, resumidamente, que todos somos capazes de aprender sempre mais e alcançar objetivos, desde que nos organizemos para isso. Muito do Agile é possível de ser aplicado na vida pessoal e o contrário também. Recomendo muito a busca por esses dois métodos e espero que esse post tenha instigado vocês a procurarem saber mais.

Para terminar, um pedacinho do Manifesto Ágil:

Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas
Software em funcionamento mais que documentação abrangente
Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
Responder a mudanças mais que seguir um plano

Dicas de Produtividade

As frases que mais escutamos atualmente é “não sei o que fazer da vida”, “esqueci disso” ou “não tenho tempo”. Ninguém tem tempo hoje em dia, porém algumas pessoas são bem famosas por conseguirem atingir objetivos. Deve ser algo que eles fazem que produzem resultados, certo?

lostdogConhece alguém parecido?

Desde o ano passado eu venho lendo cada vez mais sobre Produtividade e Organização. Cheguei num ponto em que eu via minha vida passando e sentia não ter controle de nada. Comecei a pesquisar mais sobre o assunto, ver o que as pessoas que eu admiro fazem, etc. Foi aí que conheci os blogs Vida Organizada e Fran Guarnieri.

Depois de muito ler, decidi buscar saber mais sobre o método GTD e agora estudar e aplicá-lo na minha vida é uma meta iniciada esse ano para a vida.

Não existe um método certo para todo mundo, mas a seguir vou listar algumas atitudes que têm me ajudado bastante:

1 – Dizer não

Essa é a mais importante de tudo. Se você não sabe dizer não, significa que você não tem prioridades. Simples assim. Analisando seus projetos e rotinas, você tem clareza da sua disponibilidade para novos projetos e não se sobrecarrega. Separe um dia para listar todas suas responsabilidades, ações e rotinas diárias e veja se elas estão coerentes com suas metas. Isso é bem legal de se fazer sempre.

DavidAllenGTD

2 – Você não precisa estar online 24hrs (mesmo que você trabalhe com internet).

Estabeleça uma rotina de acordo com suas metas e responsabilidades. Tenha uma rotina de processar todas as informações que chegam para você. Grandes executivos têm horários estabelecidos para checar e-mails, por exemplo. Tenha autonomia da sua vida, isso ajuda você a não deixar outras áreas serem prejudicadas. Equilíbrio é a chave e sabemos que apps e redes sociais nos tomam muito tempo, certo?

GTD

3 – Motive-se sempre

Quando você se sentir muito perdido, analise as áreas da sua vida. Como você quer estar daqui 30 anos? e daqui 5 anos? Como você vai estar depende do que faz hoje.

Vá com calma e reflita sobre o que você pode fazer todos os dias, em pequenos passos, para atingir um objetivo. Desmembre as ações e eles não vão parecer um monstro imbatível. Recomendo muito o livro e blog da Thais Godingo e, claro, o livro do David Allen “Getting Things Done”, com tradução no Brasil. E o mais importante: vá com calma e não tente fazer tudo de uma vez, isso vai gerar frustração. Aceite que você precisa melhorar e motive-se diariamente para alcançar seus objetivos.

2016 chegou com tudo e cabe a você aproveitá-lo ao máximo! 🙂