Dicas para ser um(a) bom(a) estudante de Computação

good
Como tudo na vida, sem esforço e dedicação não há muitos frutos, certo? Em Computação isso é um pouquinho mais rigoroso (e mais divertido). A seguir listei algumas dicas de como se tornar uma boa estudante/bom estudante. Reuni essas dicas a partir de conversas com amigos da área e procurando outros posts por aí. Preparados?!

Aprenda inglês

Se já sabe, procure por certificações.

Tenha uma rotina de estudos

É importante que seja a que você se sente melhor, sem neuras. Tenha um compromisso com seus estudos, assim como você tem com as outras coisas da sua vida. Procure sempre dar o melhor de si, mas sem exigir perfeição.

Não tenha medo de errar

Nunca.

Seja curiosa(o)

Precisa falar mais alguma coisa sobre esse tópico?

Seja autodidata

Isso não tem nada a ver com nunca pedir ajuda, mas ter a autonomia de buscar soluções por si mesma é primordial. Cá entre nós, essa é a parte mais legal de ser cientista! 🙂


Sempre busque por excelência

Procure coisas que vão te desafiar. Ande com quem você admira, treine sempre e tenha sempre foco. Parece bobeira, mas se você aplicar isso no seu dia a dia, fará toda a diferença.

Um passo de cada vez

Para quem está começando, ao olhar a grade curricular, parece que vai ser um caminho infinito. Dando um passo de cada vez, mas um passo bem sólido e fundamentado, a realização dos seus objetivos serão consequência de tudo isso.

Peça ajuda e ajude os outros

Se você, como eu, não é nenhum gênio (ou pelo menos não descobrimos ainda xD), frequentemente você vai ter dúvidas. Computação é algo totalmente novo para seu modo de pensar, por isso vai ser recorrente a sensação de estar perdida. Peça ajuda, tire dúvidas, confie em si mesma e siga em frente.

Lembre-se de porquê você começou

Quando se sentir desmotivada, lembre-se de porque começou (ou veja fotos do Pusheen e outros gatinhos xD). Tenha uma lista de coisas para fazer quando precisar se animar: frases, vídeos, fotos, etc., qualquer coisa que te inspire. É importante ouvir nosso corpo e descansar também.

Tenha paciência e acredite em você

E você, quais dicas teria para acrescentar?

Metodologias Ágeis e GTD

Antes de mais nada, preciso relembrar que não sou uma especialista ainda em nenhum dos dois assuntos, mas que muito me interessam em continuar estudando. Esse post se trata de um ensaio sobre alguns pontos em comum sobre esses dois métodos e achei legal compartilhar.

Para começar, Agile é uma metodologia de desenvolvimento de Software. Já GTD é um método de produtividade. Você deve estar se perguntando como eles dois podem ser comuns, certo? Vamos lá, então.

Agile
Getting Things Done

Pelas imagens, da para perceber que os dois métodos trabalham com os princípios de revisão constante, algo que impacta diretamente na qualidade do produto/das tarefas no dia a dia. Sem revisão, não é possível acompanhar o processo nem se adaptar às mudanças.

O principal ponto que os dois métodos me chamaram atenção foi a atitude de ver as pessoas como o mais importante de tudo e capazes de construírem ações com valor. O respeito à integridade humana, a confiança nas pessoas e a propagação de valores na vida e na empresa são os pilares desses dois métodos.

Na maioria das empresas, e não só de software, os ‘funcionários’ são apenas números que podem ser substituídos a qualquer momento. A burocracia e reuniões inúteis são rotina na vida de muitos. Colocando esses princípios em prática, a vida melhora, a produtividade acontece e os resultados são mais satisfatórios para todos.

Depois, a motivação para realizar suas tarefas. Seja em Software, seja na vida pessoal, se não temos objetivos claros e foco, é bem provável não haver motivação para acordar todos os dias, pegar trânsito e nem sentir satisfação com o que fazemos.

Com planejamento e organização, a mente fica mais descansada e livre para criar com qualidade. A criatividade é estimulada, o cérebro não se preocupa com prazos, chefes, com metas não realizadas.

Os dois métodos propagam, resumidamente, que todos somos capazes de aprender sempre mais e alcançar objetivos, desde que nos organizemos para isso. Muito do Agile é possível de ser aplicado na vida pessoal e o contrário também. Recomendo muito a busca por esses dois métodos e espero que esse post tenha instigado vocês a procurarem saber mais.

Para terminar, um pedacinho do Manifesto Ágil:

Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas
Software em funcionamento mais que documentação abrangente
Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
Responder a mudanças mais que seguir um plano

Dicas de Produtividade

As frases que mais escutamos atualmente é “não sei o que fazer da vida”, “esqueci disso” ou “não tenho tempo”. Ninguém tem tempo hoje em dia, porém algumas pessoas são bem famosas por conseguirem atingir objetivos. Deve ser algo que eles fazem que produzem resultados, certo?

lostdogConhece alguém parecido?

Desde o ano passado eu venho lendo cada vez mais sobre Produtividade e Organização. Cheguei num ponto em que eu via minha vida passando e sentia não ter controle de nada. Comecei a pesquisar mais sobre o assunto, ver o que as pessoas que eu admiro fazem, etc. Foi aí que conheci os blogs Vida Organizada e Fran Guarnieri.

Depois de muito ler, decidi buscar saber mais sobre o método GTD e agora estudar e aplicá-lo na minha vida é uma meta iniciada esse ano para a vida.

Não existe um método certo para todo mundo, mas a seguir vou listar algumas atitudes que têm me ajudado bastante:

1 – Dizer não

Essa é a mais importante de tudo. Se você não sabe dizer não, significa que você não tem prioridades. Simples assim. Analisando seus projetos e rotinas, você tem clareza da sua disponibilidade para novos projetos e não se sobrecarrega. Separe um dia para listar todas suas responsabilidades, ações e rotinas diárias e veja se elas estão coerentes com suas metas. Isso é bem legal de se fazer sempre.

DavidAllenGTD

2 – Você não precisa estar online 24hrs (mesmo que você trabalhe com internet).

Estabeleça uma rotina de acordo com suas metas e responsabilidades. Tenha uma rotina de processar todas as informações que chegam para você. Grandes executivos têm horários estabelecidos para checar e-mails, por exemplo. Tenha autonomia da sua vida, isso ajuda você a não deixar outras áreas serem prejudicadas. Equilíbrio é a chave e sabemos que apps e redes sociais nos tomam muito tempo, certo?

GTD

3 – Motive-se sempre

Quando você se sentir muito perdido, analise as áreas da sua vida. Como você quer estar daqui 30 anos? e daqui 5 anos? Como você vai estar depende do que faz hoje.

Vá com calma e reflita sobre o que você pode fazer todos os dias, em pequenos passos, para atingir um objetivo. Desmembre as ações e eles não vão parecer um monstro imbatível. Recomendo muito o livro e blog da Thais Godingo e, claro, o livro do David Allen “Getting Things Done”, com tradução no Brasil. E o mais importante: vá com calma e não tente fazer tudo de uma vez, isso vai gerar frustração. Aceite que você precisa melhorar e motive-se diariamente para alcançar seus objetivos.

2016 chegou com tudo e cabe a você aproveitá-lo ao máximo! 🙂

Rails Girls SP 2015!

Esse final de semana, dias 27 e 28, aconteceu o Rails Girls São Paulo 2015! Passaram-se três anos desde a última edição e nem preciso dizer o quanto fiquei feliz quando vi minha confirmação de inscrição (nesse mesmo fim de semana estava rolando uma edição das PyLadies e das MinasProgramam também!)

12309666_939307046106833_8872744403193399440_o

As Rails Girls surgiram na Finlândia, já contam atualmente com vários grupos no mundo inteiro e têm o objetivo de dar oportunidade para mulheres de compreenderem tecnologia, como ela é feita e tirar suas idéias do papel! Quantas vezes você não deve ter sentido falta de um App, por exemplo, e não faz porque não sabe programar? Vocês podem ver o site delas aqui e lá podem conferir todos os eventos que acontecem no mundo inteiro 😀

Eu participando e meu namorado ajudando como coach o/

11057261_939306949440176_5979395042263950415_o

Mas falando da edicão SP 2015, posso dizer que experiência foi simplesmente maravilhosa. Ver um grupo de pessoas unindo forças e conhecimento para levar programação para um grupo de mulheres porque acreditam na causa é muito inspirador.  Tudo foi feito de forma que as meninas não vejam programação como um bicho de sete cabeças e Rails facilita muito isso. O melhor de tudo, foi certamente, conhecer meninas maravilhosas e poder aprender tanto em tão pouco tempo.

O BankFácil disponibilizou o espaço e todos estavam lá para ajudar também. Teve sorteio de livros, de treinamentos e de mentoria. Abaixo algumas fotos para vocês sentirem um pouco como foi. Dá para ver como o ambiente estava muito legal e muitas meninas com vontade de aprender (eu inclusive super animada o/)

Os meus coachs foram maravilhosos, nos ajudaram muuito e tiveram muita paciência (Valeu Regis e Raquel!). Saíram projetos muito legais e vontade de continuar desenvolvendo. Sem contar as apresentações maravilhosas da Dhiana Deva, da Ana Carolina e da Alda, né? E as camisas e os adesivos? <333 Ah, se você usa e gosta de Rails e quer ajudar meninas a aprenderem, você mesmo pode organizar um evento. Dá uma olhada aqui.

Para 2016, ficamos todas com a vontade de organizar edições com mais frequência (além de uma coreografia de Single Ladies que foi consenso entre todas que ficou faltando xDD). Se você quiser acompanhar mais, siga as Rails Girls SP no Facebook e no Twitter.

12291870_939306626106875_4581965867191588651_o12291822_939306646106873_8606142893931728183_o

Deixo aqui o gostinho de querer saber mais sobre Rails, com certeza você não vai se arrepender!

O que é preciso para aprender a programar?

Quando começamos a estudar programação, percebemos o quanto o método tradicional na verdade nos ensina a não pensar. É por isso que para muitos é tão difícil programar, porque você tem que aprender a pensar direito e nosso cérebro meio que atrofia depois de tantos anos repetindo fórmulas e datas descontextualizadas (alguns países já incluem programação como disciplinas curriculares, mas vai levar muito tempo para isso se tornar algo global, infelizmente). Mas, calma, nem tudo está perdido!

Se você tiver acesso à internet e se interessar por programação, com certeza vai achar centenas de tutoriais e de sites voltados a isso. No entanto, pela minha experiência própria, acredito que aprender a Lógica de Programação deva ser o primeiro passo. Aprender a construir algoritmos deve ser a sua principal preocupação nesse momento. Na verdade, essa palavrinha Algoritmos é algo bem comum no nosso dia a dia, a diferença é que não estamos acostumados a abstrair as nossas ações e colocá-las em uma sequência clara de instruções. Resumindo, a Lógica de Programação será sua melhor amiga que vai dizer pro computador fazer exatamente o que você quer.

large

Quando eu comecei a fazer o curso de JavaScript no CodeCademy tive muitas dificuldades e hoje entendo porquê. Estudando Lógica de Programação na faculdade, percebo o quanto foi difícil para mim encarar assim logo com uma linguagem. Por mais que o curso seja didático, alguns termos e funcionalidades eu não entendia e além disso, ainda tinha que aprender a sintaxe de JavaScript! Portanto, se isso é algo que aconteceu com você ou está acontecendo, isso é normal.

517af58f32d50c62c36c04f7d9cca982

Aprendendo os fundamentos da programação, você só precisa depois aplicá-los à linguagem que você quer, olha que genial! A Lógica será sempre a mesma, por isso, você não precisa se preocupar em aprender Ruby, Python, Java, etc. (ok, maldade querer comparar Ruby e Python com qualquer outra linguagem xD), mas sim em aprender pensar como um computador (que, convenhamos, finge muito bem ser super inteligente).

O Visulg foi criado pelo programador e professor universitário no RJ, Claudio Morgado de Souza. É um programa que edita, interpreta e executa algoritmos com uma linguagem próxima do português estruturado como um programa normal de computador. Você pode baixar de graça e se divertir. Existem vários PDF’s também disponíveis e, o mais importante, com vários exercícios. A minha dica de ouro nesse contexto é: não procure a resolução dos exercícios na internet! Pense, pense que você chega lá. Pode não ser no mesmo dia, mas você consegue 🙂

Porém, mesmo com todas essas ferramentas que a internet oferece, existirão vários momentos em que você se sentirá empacado. Nessas horas, alguém que já tenha experiência com programação fará toda a diferença na sua vida . O mais legal dessa parte é quando você percebe que já sabia a resposta, só não sabia como implementar ou então, que faltava só um detalhe e voilà! Com o tempo você mesmo será um mentor para outros. Interessante, não?

Resumindo, se você acha que programar deve ser legal, tente partir de um jeito que seja menos traumático para você. Juntando tudo isso com sua vontade de aprender e curiosidade, é muito legal quando depois de um tempo, revendo seus algoritmos você pensa “Nossa, que ruim, posso fazer melhor”. Isso é sinal de que você realmente está aprendendo. Isso não significa que você deva se envergonhar do que fez, mas sim ficar feliz por estar melhorando, claro! Na real, se você não é nenhum gênio, às vezes você faz um algoritmo que funciona, mas que poderia ser melhorado.

Aproveitando o contexto, essa semana saiu até o curso temático do Minecraft no Code.org Corra lá e divirta-se, essa é a melhor parte de programar! =)

Meu 1º Hackaton: Destination Hack Brasil

Sábado passado, dia 7, eu e um grupo de amigos participamos de um Hackaton lá na Augusta. O Destination Hack já rodou no mundo inteiro, ano passado foi em Londres e esse ano trouxeram ao Brasil.

Hackaton é uma maratona de programação, onde desenvolvedores, designers, amantes de tecnologia e tudo mais, desenvolvem um projeto em apenas 24hrs! É loucura, é correria, é resistência, mas é principalmente muito divertido e desafiador. Os organizadores disponibilizaram alimentação, ingresso para o Destination Hack Brasil, acesso à APIs Sabre, Internet, e estrutura para desenvolvimento incluindo acesso ao Dev Studio (developer.sabre.com), códigos exemplos, demo gallery, internet, presença de desenvolvedores Sabre para suporte e material para criação e todo suporte necessário para desenvolvimento. Ufa!

Os critérios para os prêmios foram e provavelmente devem ser os mesmos para toda maratona, claro que variando o tema:

  • Qualidade Técnica
    O aplicativo é um protótipo funcional que não trava ?
  • Design
    O aplicativo tem apelo visual, é fácil de usar e tem boa usabilidade ?
  • Potencial
    A idéia tem potencial de reinventar o conceito de viagens ?
  • Sabre APIs
    Utilização das APIs Sabre

Já conheci algumas pessoas que falam que não curtem essa ideia porque acham que você trabalha de graça para grandes empresas e tal, mas acredito que isso faz parte, principalmente se você está começando numa carreira, além de conhecer novas pessoas. O que vocês pensam a respeito disso?

CTPAhSDU8AAdvW1
O robôzinho era um charme
WP_20151107_19_35_15_Pro
Meu grupo tentando usar a API do Sabre xD
WP_20151107_19_35_23_Pro
Os organizadores e alguns outros grupos

Bom, nós aprendemos muito com essa experiência: ir com uma ideia já discutida com o grupo, escolher as tecnologias, de preferência as que você já conhece, e já definir o que cada um deve fazer faz uma baita diferença. Isso ajuda a otimizar o tempo e todo mundo se diverte 😀 Com isso em mente, decidimos treinar antes das maratonas, assim, teremos muitas chances de estar entre os finalistas, embora esse nem sempre seja o prêmio maior de uma experiência dessas. Que tal você fazer isso com seu grupo de amigos também?

Nós não ganhamos nenhum prêmio, na verdade, fomos somente no sábado e tivemos ideias para os próximos. Agora é treinar e aguardar pela próxima. As ideias que tivemos (foram tantas, vocês nem imaginam) servirão de treino e, quem sabe, de novos lançamentos de aplicativos 😀

 

Porque decidi aprender a programar

print "Hello World"

Quando eu era criança, eu gostava de Matemática, me imaginava ser uma cientista e publicar minhas descobertas em revistas internacionais (desculpem a sinceridade, mas eu sempre quis fazer a diferença mesmo xD). Infelizmente, como é a realidade de quase 99% dos brasileiros, tive péssimos professores e não conhecia ninguém que gostasse de Matemática para estudar comigo. Passei a minha infância e adolescência numa cidadezinha do interior do Maranhão, sem muitas atrações para quem gostava de estudar. Na época, a internet não existia na minha realidade. Não tinha sites maravilhosos como Phet, blogs e fóruns de iniciativas de pessoas do mundo inteiro dispostos a ajudar com essas matérias.

Com o tempo, fui afastando cada vez mais esse meu lado. Dessa forma, acabei escolhendo Letras na Universidade Federal do Maranhão. Foram 5 anos tentando me encontrar nessa área e me forçando a não desistir. Ganhei uma bolsa para estudar 2 anos em Portugal e mesmo assim não conseguia me ter paixão pela profissão de professora, pelo menos nesse método tradicional. Até entrei num grupo de pesquisa de Ficção Científica, mas comecei a perceber que eu não queria mais ler ou escrever sobre ciência, eu queria fazer, criar soluções e participar de projetos que ajudassem as pessoas!

Todos sabemos, ou fingimos saber, que não adianta pensar no passado, certo? Sei que isso já é frase feita da internet e mimimi, mas nunca, nunca é tarde para fazer o que você realmente quer. Com isso em mente, decidi aprender a programar e pela primeira vez me vi fazendo algo que me fizesse sentir feliz. Olá, novo futuro!

Não é fácil mudar de área e falarei depois de como manter a motivação nesse processo. Hoje descobri que sou apaixonada por Programação. E porquê Programação?, alguns perguntam. Ora, porque não?! A primeira vez que falei pro computador fazer alguma coisa, foi uma emoção das grandes! Aqueles meus sonhos de infância finalmente me pareceram mais próximos de se tornarem realidade.

Se você não acredita em mim, então vai pelo Steve Jobs!

Meu professor de lógica de programação costuma falar que programar não é algo trivial. Realmente não é, mas tendo pessoas para te ajudar, vontade de aprender, persistência, confiança e paciência, você consegue. Talvez você não saiba, ou nunca tenha parado para pensar, mas são essas as palavrinhas que estão por trás do mundo da Programação. E, convenhamos, se eu, que fazia Humanas estou contando tudo isso para você, é porque realmente tudo é possível 🙂

Essa é minha história. E a sua?